fbpx

5 PONTOS PARA VOCÊ COMEÇAR A EMPREENDER

Com a instabilidade econômica e a polêmica discussão sobre a Reforma Trabalhista do Brasil, alguns veem no empreendedorismo a “solução” para conquistar a independência financeira. Consequentemente, a proposta é destaque em sites, livros e palestras. De acordo com revistas especializadas, como a Exame, o País tem vários tipos de empreendedor, do individual ao coorporativo. Você quer se tornar um empreendedor? Apresentamos cinco pontos para quem quer começar um negócio próprio.

Quais as características do Empreendedor?

Primeiro, vamos quebrar um conceito. Diferentemente do que muitos imaginam, não é imprescindível nascer com “veia empreendedora”. Empreendedor é aquele “que se lança à realização de coisas difíceis ou fora do comum” (dicionário Michaelis). Portanto, também é preciso estar disposto encarar desafios e desenvolver habilidades. As fundamentais são ter iniciativa e paixão pelo que faz.

Além disso, completam o perfil do empreendedor: a criatividade, porque criar é sempre melhor do que copiar; o otimismo, para não se abater diante de obstáculos; a resiliência (capacidade de lidar com problemas, aprender e se beneficiar deles); a autoconfiança, sendo seu maior e principal incentivador; e a disposição para reconhecer e corrigir erros durante esse percurso. Mergulhar no empreendedorismo se torna também uma jornada de autoconhecimento.

1. Seja original

Na essência do empreendedorismo, o propósito é ser pioneiro, conceber algo inédito para alcançar um nicho que ainda ninguém se atentou. Um bom case é do WhatsApp. O aplicativo de mensagens instantâneas supriu um mercado em alta com o aumento da venda e do uso de smartphones. Mesmo após o surgimento de similares, domina a preferência dos brasileiros – são 120 milhões de usuários ativos. O resultado por ser o primeiro? Um universo de possibilidades.

2. Seja estratégico

Antes de sequer pensar em abrir uma empresa, independentemente do setor, analise os tipos de pessoa jurídica para saber qual se encaixa na sua realidade. O mais indicado para quem está começando é Microempreendedor Individual (MEI), com faturamento máximo de até R$ 81 mil por ano. Também é importante avaliar a concorrência do mercado e o perfil do cliente. Dica: pesquise sobre Inbound Marketing.

3. Seja cauteloso

Se a intenção é abrir um espaço físico, é bom avaliar a economia de se manter inicialmente somente no digital. Dependendo do setor, é plausível trabalhar em casa, sem gastos com aluguel/contas de um escritório, ou folha de pagamento. Por outro lado, tenha consciência, organização e compromisso, pois o funcionamento da empresa dependerá exclusivamente de você. No futuro, dá para optar por contratar funcionários, local próprio ou coworking.

INSCREVA-SE NA NOSSA NEWSLETTER

    4. Seja digital

    Facebook, Instagram, LinkedIn, Twitter… Sobram canais para as empresas, das pequenas às multinacionais, se tornarem conhecidas. Investir no mundo digital se tornou primordial para garantir espaço no mercado. Segundo um levantamento do Bank My Cell, existem mais de 8 bilhões de dispositivos móveis pelo mundo – quase um bilhão de smartphones a mais do que a população mundial (7,6 bilhões de pessoas). No País, 92% dos brasileiros têm celular.

    Porém, não basta ser heavy user de redes sociais. É necessário ter táticas e ferramentas para promover seu negócio. Contratar uma agência pode ser a alternativa mais efetiva, segura e com retorno garantido. Ela será um apoio para alcançar o público-alvo de maneira precisa, com conteúdo personalizado. Além disso, não se limita às barreiras geográficas e facilita a análise de resultados. Saiba mais aqui.

    5. 'Seja' valor, não preço

    Um dos conceitos do Branding, é que a empresa deve ser mais do que um símbolo. Portanto, a partir do momento que sua marca é apresentada ao público, deve ser vista como um recurso de grande valor. Desde o primeiro contato, o prospect (pessoa interessada em conhecer seu serviço) deve receber informações sobre diferencial, qualidade e credibilidade. Ofereça a solução do problema e não simplesmente mais um item a ser comprado. 

    Na próxima quinta, vamos descobrir os perfis mais comuns de empreendedor no Brasil. Para encerrar o texto inaugural da série sobre empreendedorismo, eis a definição da palavra no dicionário Aurélio: “atitude de quem, por iniciativa própria, realiza ações ou idealiza novos métodos com o objetivo de desenvolver e dinamizar serviços, produtos ou quaisquer atividades de organização e administração”. É praticamente um convite à aventura. E aí, topa encarar o desafio de se tornar um empreendedor?

     

    Natália Caplan Schwartz de Araújo

    Natália Caplan Schwartz de Araújo

    Jornalista com mais de 14 anos de caminhada na Comunicação, descobrindo uma paixão além da arte de escrever: o Marketing.

    Natália Caplan Schwartz de Araújo

    Natália Caplan Schwartz de Araújo

    Jornalista com mais de 14 anos de caminhada na Comunicação, descobrindo uma paixão além da arte de escrever: o Marketing.